Sintoma

2 maio

Quando lanças sobre mim,
Mar revolto, teu olhar,
Eu me sinto um Querubim
Pelos céus a revoar

Quando sinto esse teu beijo,
Leve e forte furacâo,
Nada ouço, nada vejo,
Já não sinto os pés no chão.

Ao notar teu pulso forte,
Coração em disparada,
Não me aflige nem a morte,

O mundo para, minha amada,
Não há Sul e não há Norte,
Só teus braços e mais nada.

Anúncios

2 Respostas to “Sintoma”

  1. Jorge 5 maio, 2005 às 11:21 am #

    Oi

    Lindo, e ja vi que a Ane gostou né, um beijo

    Dindo

  2. Ane 2 maio, 2005 às 1:17 pm #

    Amei o poema…
    Te adoro, te adoro, te adoro, te adoro, te adoro, te adoro, te adoro, te adoro, muito, muito, muito, muito, muito, BASTANTE!
    bjos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: